Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Os anos do Rock em Stock

Viagem aos anos da New Wave, tendo por referência o programa de rádio Rock em Stock, de Luís Filipe de Barros, na sua primeira fase (1979/1982). Celebrando os 40 anos do Rock em Stock.

Os anos do Rock em Stock

Viagem aos anos da New Wave, tendo por referência o programa de rádio Rock em Stock, de Luís Filipe de Barros, na sua primeira fase (1979/1982). Celebrando os 40 anos do Rock em Stock.

27.10.20

AC-DC – You shook me all night long

1.º lugar no top de álbuns do Rock em Stock de 25 de Outubro de 1980

 

Bon Scott, vocalista dos australianos AC-DC, foi o primeiro de quatro míticos músicos que morreram em 1980 (seguiram-se-lhe Ian Curtis, John Bonham e John Lennon). Ninguém conseguia imaginar os AC-DC sem Bon Scott. No entanto, depois de ponderarem pôr um termo à banda, os restantes membros acabaram por decidir continuar. Recrutaram o vocalista dos ingleses Geordie, Brian Johnson, entraram em estúdio e saíram de lá com um álbum que é invariavelmente citado nas listas dos melhores discos de todos os tempos, o memorável “Back in Black”.

 

Que foi, também, um dos álbuns mais bem-sucedidos da história dos tops do Rock em Stock.

 

Editado no fim de Julho de 1980, o álbum “Back in Black” entrou no top do Rock em Stock em Agosto de 1980 e chegou ao 1.º lugar no top de 25 de Outubro.

 

Algumas músicas do novo álbum tinham sido escritas antes da morte de Bon Scott (que chegou mesmo a tocar bateria em duas “demos” de canções do álbum) e há quem, tendo contactado com Bon Scott antes da sua morte (incluindo um jornalista), garanta que a letra de “You shook me all night long”, ou pelo menos parte dela, terá sido escrita pelo próprio Bon Scott.

26.10.20

Bruce Woolley & The Camera Club – House of wax

Power Play do Rock em Stock de 26 a 31 de Outubro de 1980

 

Uma raridade. Depois de “Video killed the radio star” e “Clean, clean” (ambas em co-autoria com os Buggles) e do álbum “English Garden”, Bruce Woolley lançou, em Inglaterra, em single de edição limitada, “House of wax”, canção composta por Bruce Woolley e pelo guitarrista da sua banda The Camera Club, David Birch (a dupla já tinha composto o tema “Get away William”, do álbum de estreia).

 

É possível que estivesse prevista a inclusão da canção no segundo álbum de Bruce Woolley & The Camera Club, previsto para ser editado em 1981. Mas o álbum acabou por nunca ver a luz do dia: a editora recusou editá-lo e terminou aí a curta carreira musical de Bruce Woolley. “House of wax”, uma favorita dos fãs, permaneceu uma raridade (nos anos 2000, Bruce Woolley chegou, durante algum tempo, a disponibilizar a canção no seu “site”, numa versão mais curta, que, hoje, é ainda mais rara do que o original; em 2009, uma reedição, em CD, do álbum de 1979, em Inglaterra, incluiu “House of wax” como canção bónus - o disco já tinha sido editado em CD, mas sem canções bónus; essa edição especial esgotou e nunca foi reeditada). Em 2015, a canção foi disponibilizada por um fã, no You Tube e, por enquanto, ainda lá está.

 

“House of wax”, lançada em Inglaterra no final de Setembro de 1980, foi o “Power Play” do Rock em Stock de 26 a 31 de Outubro de 1980.

25.10.20

Tops de 25 de Outubro de 1980 (BSR + singles + álbuns)

TOP DE BANDAS DE SKA E REGGAE

 

♫Top de bandas de ska e reggae do Rock em Stock de 25/10/1980 (do 15.º ao 11.º lugar) (reconstituição) (duração: 11min)♫

 

♫Gravação do desfile do top de bandas de ska e reggae do Rock em Stock de 25/10/1980 (duração: 24min)♫

 

O top de bandas de ska e reggae era um top 10 e a apresentação do top era sempre restrita aos primeiros 10. Mas, por vezes, eram divulgados alguns lugares fora do top (normalmente, até ao 15.º lugar).

 

A gravação do top propriamente dito (dez primeiros lugares) inclui a maior parte do desfile do top, com a respectiva locução de Luís Filipe Barros. Até ver, é o top de bandas de ska e reggae mais completo que nos chegou às mãos. A gravação, que é em mono, foi completada com as quatro canções em falta (do 9.º ao 6.º lugar) e remendada onde a fita falhava.

 

TOP DE SINGLES

 

♫Top de singles do Rock em Stock de 25/10/1980 (do 15.º ao 11.º lugar) (reconstituição) (duração: 14min)♫

 

Top de singles do Rock em Stock de 25 de Outubro de 1980, do 15.º para o 11.º lugar. O top de singles continuava a ser um top 10, mas, também neste caso, por vezes eram divulgadas as posições do 15.º ao 11.º lugar, antes do desfile do top propriamente dito.

 

Esta divulgação, que passou a fazer-se com frequência, foi uma espécie de antecâmara do alargamento do top de singles, que viria a acontecer mais tarde.

 

♫Gravação do desfile do top de singles do Rock em Stock de 25/10/1980 (duração: 14min)♫

 

Do 10.º para o 1.º lugar, os 10 singles do top do Rock em Stock de 25 de Outubro de 1980.

 

Uma rara gravação intacta do top de singles do Rock em Stock (embora em mono), à qual só tivemos de fazer um remendo ou outro onde a fita falhava. Faltam apenas uns segundos a abrir (informação do 15.º e do 14.º lugar), mas que são antes da apresentação do top propriamente dito, que está completo.

 

Na gravação, é feita referência a Ricardo Camacho, um dos homens (fundamentais) da equipa do Rock em Stock. Já se tinha formado em medicina (o “dr.”, como lhe chamava o Berros) e, segundo a gravação, era um dos homens que recebia as chamadas dos ouvintes, nos dias de votação dos tops.

 

Caso único na história dos tops do Rock em Stock: em comparação com a semana anterior, entre os 15 primeiros do top de singles, só dois é que mudaram de posição.

 

TOP DE ÁLBUNS

 

♫Top de álbuns do Rock em Stock de 25/10/1980 (do 30.º ao 21.º lugar) (reconstituição) (duração: 25min)♫

 

Top de álbuns do Rock em Stock de 25 de Outubro de 1980, do 30.º para o 21.º lugar. Apesar de se tratar de um top 20, durante um período foi, com alguma frequência, feita a divulgação do 30.º ao 21.º lugar, normalmente antes do desfile do top. Talvez na mente dos autores do programa estivesse um possível futuro alargamento do top de álbuns.

 

♫Gravação do desfile do top de álbuns do Rock em Stock de 25/10/1980 e o “power play” da semana seguinte (duração: 47min)♫

 

Uma rara gravação - praticamente completa - do top de álbuns do Rock em Stock de 25 de Outubro de 1980 (embora em mono). Faltam dois ou três segundos no início (divulgação do 30.º lugar), mas que é antes da apresentação do top propriamente dito, falta a locução no 18.º lugar e a gravação tem uma interrupção (que foi completada) na parte em que um lado da cassete chegou ao fim (entre o 14.º e o 13.º lugar). Tentou-se também remendar algumas passagens onde a fita devia estar em muito mau estado e uma outra pequena passagem onde a fita devia estar do avesso (3.º lugar).   

 

Entre os votantes dos tops, o programa atribuía todas as semanas dois prémios, por sorteio: dois álbuns a um votante e um modelador de luzes psicadélicas a outro. Nesta semana, os dois álbuns foram atribuídos a «Artur Jorge Oliveira Santos, Rua Armindo de Almeida, 24, 2.º direito, 2830 Barreiro».

 

A gravação termina com a apresentação daquele que iria ser o “Power Play” do Rock em Stock a partir da 2.ª feira seguinte (“House of wax”). O “Power Play” era a canção em destaque ao longo da semana, abrindo as emissões e cada nova hora da emissão. Quando sobrava tempo da apresentação dos dois tops, a emissão de sábado finalizava com o “power play” da semana seguinte.  

 

Um agradecimento, mais uma vez, aos que nos enviaram gravações. Se tiverem mais, p.f. enviem-nos. Os nossos endereços são: osanosdanewwave@sapo.pt e osanosdanewwave@gmail.com. Relembramos que, por enquanto, continuamos a estar em dois sítios: https://osanosdanewwave.blogs.sapo.pt/ e https://osanosdanewwave.blogspot.com/ (embora este último pareça não tenha um único visitante). Não sabemos se vamos conseguir cumprir o nosso plano de publicar regularmente até 2022, acompanhando o Rock em Stock até 1982. Mas, por enquanto, aqui estamos. Infelizmente, não conseguimos chegar a um número minimamente razoável de antigos fãs do Rock em Stock de 1979/82, tornando mais difícil reunir gravações que ainda existam.

24.10.20

Rock em Stock, 24 de Outubro de 1980

♫Gravação do Rock em Stock de 24 de Outubro de 1980 (duração: 8min)♫

 

Os últimos minutos da emissão do Rock em Stock de 6.ª feira, 24 de Outubro de 1980. Gravação em mono e contínua, apenas com um corte de cerca de 10 segundos (nas despedidas de Luís Filipe Barros). Inclui Dexys Midnight Runners, B-52’s e aquele que era o 1.º lugar no top de álbuns do Rock em Stock, os Stranglers.

23.10.20

Dexys Midnight Runners – There, there, my dear (album version)

5.º lugar no top de bandas de ska e reggae do Rock em Stock de 18 de Outubro de 1980

 

“There, there, my dear”, a canção com que encerra o álbum de estreia dos Dexys, “Searching for the young soul rebels”, editado em Inglaterra no Verão de 1980, e à qual o álbum foi buscar o nome («You see Robin / I've been searching for the young soul rebels / I've been searching everywhere / And I can't find them anywhere / Where have you hidden them? / Maybe you should welcome the new soul vision»).

 

Kevin Archer tinha a melodia e Kevin Rowland tinha a letra, que era uma carta escrita a um “Robin”. Ao ouvir a música, Kevin Rowland achou que a letra não encaixava. Foi Kevin Archer que lhe mostrou o contrário. E ainda hoje nos devia causar espanto como é que os Dexys juntaram esta música e esta letra e conseguiram fazer uma canção quase perfeita. Permanece como uma das canções dos Dexys favoritas de Kevin Rowland.

 

O “Robin” da canção é, segundo Kevin Rowland, a personificação de um certo tipo de músico pretensioso e de aparências, do género que cita Jack Kerouac, Simone de Beauvoir ou Kierkegaard, como se realmente os lesse («Dear Robin / Let me explain, though youd never see in a million years / Keep quoting Cabaret, Berlin, Burroughs, J.G. Ballard, Duchamp, Beauvoir, Kerouac, Kierkegaard, Michael Rennie / I dont believe you really like Frank Sinatra»). «Perhaps Id listen to your records but your logics far too lame and Id only waste three valuable minutes of my life with your insincerity».  

 

No álbum, quando a canção termina, Kevin Rowland canta o refrão dacanção “Everything I do gohn be funky”, de Lee DorseyEverything I do / Gohn be Funky / From now on»).

 

Editada também em single (o terceiro single dos Dexys, depois de “Dance stance” e “Geno”), a canção “There, there, my dear” chegou ao 7.º lugar no top de singles britânico.

 

Os Dexys eram presença no top de bandas de ska e reggae do Rock em Stock desde a sua primeira edição, em Maio de 1980 (só no top de 27 de Agosto é que falharam a presença nos 10 primeiros lugares). Com “There, there, my dear”, no top desde 3 de Setembro, eram o 5.º lugar no top de 18 de Outubro.

21.10.20

David Bowie – Ashes to ashes (single version)

1.º lugar no top de singles do Rock em Stock de 18 de Outubro de 1980

 

O regresso de “Major Tom”. “Ashes to ashes”, a estranha canção em que ninguém apostaria e que viria a tornar-se um dos clássicos da carreira de David Bowie, foi uma espécie de “sequela” da canção “Space Oddity”, editada por David Bowie em 1969. Coincidência ou não, Bowie tinha regravado “Space Oddity” no final de 1979 e a nova versão da canção tinha sido editada no início de 1980, em single - e também em teledisco, com o qual o teledisco de “Ashes to ashes” viria a ter semelhanças evidentes, reforçando a ligação entre as duas canções.

 

Nos EUA, chegou a ser editado, em 1980, um single promocional intitulado “The continuing story of Major Tom” – “Space Oddity segued into Ashes to Ashes”, composto por “Space Oddity” e pelas versões single e do álbum de “Ashes to ashes”.

 

“Ashes to ashes”, o single improvável, foi editado em Agosto de 1980 e chegou ao 1.º lugar no top de singles britânico.

 

Foi também um dos singles que mais sucesso tiveram na história do top do Rock em Stock (1979/1982). Entrou no top em 6 de Setembro de 1980 e chegou ao 1.º lugar em 4 de Outubro. Era ainda o 1.º lugar no top de 18 de Outubro.

 

«My mother said, to get things done / You'd better not mess with Major Tom».

21.10.20

Plasmatics – Butcher baby

5.º lugar no top de singles do Rock em Stock de 18 de Outubro de 1980

 

“Butcher baby”, dos Plasmatics, na versão regravada em 1980 e editada pela Stiff (numa versão diferente, tinha sido o 1.º single da banda, editado em 1978). Em vez da um solo de guitarra, uma serra eléctrica a serrar a guitarra. Single retirado do álbum “New hope for the wretched”, editado em Outubro de 1980, era o 5.º lugar no top de singles do Rock em Stock de 18 de Outubro de 1980.

20.10.20

Lambrettas – D-a-a-ance

2.º lugar no top de bandas de ska e reggae do Rock em Stock de 18 de Outubro de 1980

 

Depois de “Poison ivy”, “D-a-a-ance” foi o segundo single retirado do álbum de estreia dos ingleses Lambrettas, “Beat boys in the jet age”, editado em Inglaterra no Verão de 1980. “D-a-a-ance” chegou ao 12.º lugar no top de singles britânico. No top de bandas de ska e reggae do Rock em Stock, chegou ao 2.º lugar em 1 de Outubro de 1980, posição que mantinha ainda no top de 18 de Outubro.

20.10.20

Jona Lewie - You'll always find me in the kitchen at parties

13.º lugar no top de singles do Rock em Stock de 18 de Outubro de 1980

 

“You'll always find me in the kitchen at parties”, de Jona Lewie, entrou no top de singles do Rock em Stock em 21 de Junho de 1980, chegou ao 4.º lugar em Julho, e em Outubro espreitava ainda os dez mais do top. Era o 13.º lugar no top de singles do Rock em Stock de 18 de Outubro de 1980.

 

No final do ano, o Rolls Rock de António Sérgio haveria de distinguir “You'll always find me in the kitchen at parties” com o prémio Melhor Single do Ano.

20.10.20

Sapho – Mécanique

3.º lugar no top de singles do Rock em Stock de 18 de Outubro de 1980

 

“Mécanique”, da francesa Sapho (de seu nome verdadeiro Danielle Ebguy). Foi mais um caso no Rock em Stock em que a canção que se impôs foi a do lado B do single (neste caso, era o lado B do single “Janis”). Entrou no top de singles do Rock em Stock em 27 de Setembro de 1980 e era o 3.º lugar no top de 18 de Outubro.

19.10.20

Bombay Ducks – Sympathy for the devil

Power Play do Rock em Stock de 19 a 25 de Outubro de 1980

 

Uma raridade, esta versão de “Sympathy for the devil”, dos Rolling Stones, pelos ingleses Bombay Ducks (compostos por Paul Hamilton e Joseph Duarte), que foi o seu single de estreia, editado em 1980 (apenas em Inglaterra). No You Tube, a canção está disponível apenas em mono, perdendo muito face ao original em estéreo.

 

Foi o “Power Play” do Rock em Stock na semana de 19 a 25 de Outubro de 1980.

 

O “Power Play” era a novidade escolhida como canção em destaque numa semana: era a canção com que abria o Rock em Stock (a seguir ao indicativo do programa) e com que abria cada uma das horas seguintes do programa (após a interrupção para o sinal horário e o noticiário).

18.10.20

Tops de 18 de Outubro de 1980 (BSR + singles + álbuns)

♫Top de bandas de ska e reggae do Rock em Stock de 18/10/1980 (do 15.º ao 11.º lugar) (reconstituição) (duração: 10min)♫

♫Top de bandas de ska e reggae do Rock em Stock de 18/10/1980 (do 10.º ao 1.º lugar) (reconstituição) (duração: 27min)♫

 

Punk Rock, Mod Revival, Soul, Reggae, 2-Tone/Ska... Uma variedade de géneros nos 15 primeiros lugares do “top de bandas de ska e reggae” do Rock em Stock de sábado, 18 de Outubro de 1980. O top era um top 10 e a apresentação do top era sempre restrita aos primeiros 10. Mas, por vezes, eram divulgados alguns lugares fora do top (normalmente, até ao 15.º lugar).

 

♫Top de singles do Rock em Stock de 18/10/1980 (do 15.º ao 11.º lugar) (reconstituição) (duração: 14min)♫

 

Top de singles do Rock em Stock de 18 de Outubro de 1980, do 15.º para o 11.º lugar. O top de singles continuava a ser um top 10, mas, também neste caso, por vezes eram divulgadas as posições do 15.º ao 11.º lugar, antes do desfile do top propriamente dito.

 

♫Gravação do desfile do top de singles do Rock em Stock de 18/10/1980 (duração: 14min)♫

 

Do 10.º para o 1.º lugar, os 10 singles do top do Rock em Stock de 18 de Outubro de 1980. É a gravação do desfile do top, mas sem locução. A pessoa que fez esta gravação queria gravar só as canções (quase todas não editadas em Portugal) e fez uma grande ginástica para cortar a locução de Luís Filipe Barros (quando entrava a locução, parava a gravação, voltava a fita um pouco atrás e recomeçava a gravação na canção seguinte). Anos depois, arrependeu-se amargamente de não ter gravado também a locução de Luís Filipe Barros.

 

A gravação é em estéreo, mas de fraca qualidade, com muito ruído, indiciador de que a recepção FM era fraca (muita gente gravava os tops do Rock em Stock em mono, a partir da Onda Média, para evitar esse problema e ter gravações mais “limpas”, embora em mono).

 

Dos 15 singles, só 5 é que estavam editados em Portugal (e dois deles eram portugueses).

 

♫ Gravação do desfile do top de álbuns do Rock em Stock de 18/10/1980 (duração: 40min)♫

 

Do 20.º para o 1.º lugar, os 20 álbuns do top do Rock em Stock de 11 de Outubro de 1980, antecedida e seguida da canção que iria ser o “power play” do Rock em Stock a partir da 2.ª feira seguinte (“Sympathy for the devil”). O “power play” era a canção em destaque ao longo da semana, abrindo as emissões e cada nova hora da emissão. Quando sobrava tempo da apresentação dos dois tops, a emissão de sábado finalizava com o “power play” da semana seguinte, o que também aconteceu neste dia. A canção “Sympathy for the devil” aparece, por isso, no princípio e no fim desta gravação.  

 

Tal como explicado atrás para o top de singles, esta gravação não tem, infelizmente, a locução de Luís Filipe Barros.

 

Tanto num caso como no outro (singles e álbuns), optámos por mexer muito pouco na gravação: fez-se um remendo ou outro onde a fita falhava e completou-se o mínimo.

 

Este texto foi corrigido em 23/10/2020, na sequência da rectificação, na mesma data, da entrada “Top de bandas de ska e reggae ao sábado e novo horário ao sábado”, publicada em 11/10/2020.

18.10.20

Joy Division - Atmosphere

“Atmosphere” viu inicialmente a luz do dia em Março de 1980, num single editado só em França, de edição muito limitada (só 1500 exemplares). Em Inglaterra, foi editado em Outubro de 1980, já após a morte de Ian Curtis. Chegou ao 1.º lugar no top independente britânico, tendo sido n.º 1 em 25 de Outubro e 1 de Novembro de 1980. Reeditado oito anos mais tarde, em CD Single, só nessa altura entrou no top britânico de singles, chegando ao 34.º lugar em Junho de 1988. Reeditado de novo em 2020, em vinil, chegou ao 2.º lugar no top britânico de singles em vinil em Julho de 2020.

17.10.20

Berlin Blondes – Science (album version)

“Science”, na versão do álbum, o único que os escoceses Berlin Blondes editaram, em Setembro de 1980. Na versão single, a canção tinha integrado a colectânea comemorativa do 1.º aniversário do Rock em Stock.

 

O álbum, intitulado simplesmente “Berlin Blondes”, viria a conhecer também edição em Portugal, onde a banda entretanto tinha ganho alguma projecção, graças ao Rock em Stock.

16.10.20

Yes – Tempus Fugit

16.º lugar no top de álbuns do Rock em Stock de 11 de Outubro de 1980

 

Na Primavera de 1980, de surpresa, os novatos Buggles (Trevor Horn e Geoff Downes), que mal se tinham estreado (“Video killed the radio star” tinha sido editado nos fins de 1979 e o álbum de estreia, “The age of plastic”, em 1980), integraram-se nos históricos Yes. Os Buggles estavam em estúdio para gravar o segundo álbum, ao lado do estúdio onde os Yes vinham tentando gravar o seu novo álbum. As gravações tinham corrido muito mal para os Yes e Jon Anderson (o vocalista) e Rick Wakeman (teclista) tinham abandonado a banda. O agente dos Yes, que era também o dos Buggles, sugeriu que os Buggles oferecessem uma canção sua aos Yes. Pouco tempo depois, Trevor Horn e Geoff Downes, então membros de uma banda na ribalta, eram, oficialmente, membros dos Yes, uma banda em crise. Os Yes passaram a ter a voz de Trevor Horn, dos Buggles.

 

E foi assim que, com um cheirinho a Buggles, os Yes editaram, no Verão de 1980, o álbum “Drama”, que chegou ao 2.º lugar no top britânico, em Agosto e em Setembro de 1980. Curiosamente, a canção que os Buggles tinham oferecido aos Yes - "We can fly from here" - ficou incompleta e não chegou a ser incluída no álbum, embora tenha sido uma das canções que fez parte de todos os concertos da digressão do álbum “Drama” - era sempre tocada antes deste “Tempus Fugit”, uma das canções aclamadas do álbum “Drama”. A canção que lançou os Buggles na ribalta, “Video killed the radio star”, chegou a ser tocada várias vezes pelos Yes durante essa digressão.

 

O álbum “Drama” era o 16.º lugar no top de álbuns do Rock em Stock de 11 de Outubro de 1980.

Mais sobre mim

foto do autor

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D

Tags

mais tags

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Seguir no Twitter